Em artigo, João Moretti fala sobre foco em mobilidade da nova plataforma

No dia 19 de abril, a Microsoft apresentou a nova versão empresarial do seu sistema operacional, o Windows 8 Enterprise. Neste mês de agosto, foi a vez da versão RTM para empresas parceiras que irão desenvolver dispositivos móveis para o novo sistema operacional. Com o lançamento da versão “Pro” para o consumidor final confirmado para o mês de outubro próximo, muitas expectativas giram em torno do Windows 8. Sendo o primeiro sistema com uma interface universal para rodar em dispositivos móveis e PCs, quais as mudanças esperadas com o novo Windows para as empresas?

A área de trabalho inspirada no Windows Phone e menu Iniciar deram lugar a um visual bem diferente do qual estamos acostumados. Com botões e ícones bem maiores, deixando clara a intenção de facilitar o toque com os dedos no tablet, o Windows ganha uma interface gráfica moderna. Os programas que fazem parte do sistema operacional como o Internet Explorer seguem a mesma linha de mudanças e o Office também deve ganhar uma versão “sensível ao toque”, marcando a entrada do Windows 8 no mercado dos tablets.

A nova interface do Windows 8 pode acabar se tornando mais prática para os usuários de gadgets. Com o aumento no número de dispositivos móveis em muitas corporações, esse novo menu deve facilitar as operações. E isso é muito importante para os meus clientes e, consequentemente, para mim. Acredito muito no trabalho da Microsoft e espero que o Windows 8 seja um marco para os dispositivos móveis.

Novos recursos
A Microsoft fez várias mudanças nesse novo sistema operacional. Vou listar algumas abaixo.

Com o Windows 8, todos os programas abertos em segundo plano entram em uma espécie de “modo de espera”, deixando de influenciar na velocidade de outros recursos ou processos em andamento, ou seja, não será mais preciso fechar um programa porque ele atrapalha o desempenho de outro. O gerenciador de tarefas também vem com algumas modificações. Através dele, agora é possível monitorar o processador, a memória, o disco rígido e as redes sem fio.

Outra coisa é o acesso a rede Wi-Fi, que também é mais rápido comparado ao Windows 7. A conexão normalmente estabelecida de sete a 12 segundos deve cair para apenas um segundo. Essa agilidade é graças ao armazenamento de preferências do usuário por certas configurações.

A diferença entre as versões “Pro” e “Enterprise” estão em alguns recursos adicionais exclusivos como o Windows ToGo, que permite instalar o Windows em um pen drive. Através desse recurso, o funcionário pode utilizar tanto o computador da empresa como o pessoal, evitando que informações importantes sejam compartilhadas em sistemas alheios tendo todos os dados em seu próprio pen drive. Trata-se de uma ferramenta bastante útil para empresas que contratam funcionários temporários e precisam que eles tenham acesso ao desktop, mas sem obter completo acesso ao servidor.

No novo sistema, também é possível o acesso remoto à rede corporativa sem a necessidade de uma rede privada virtual separada. Os funcionários podem acessar aplicativos de negócio e outros sites internos e os administradores do sistema podem gerenciar remotamente os computadores e monitorar as conexões.

O Windows 8 Enterprise  ainda inclui uma tecnologia de virtualização que permite aos desenvolvedores corporativos criar e testar diferentes configurações de aplicativos e sistemas operacionais em um único desktop ao invés de um PC para cada configuração. Os recursos de impressão também são melhorados com a inclusão de um driver de impressão interno que permite imprimir em diversas impressoras sem precisar baixar ou instalar drivers de dispositivos.

Posso falar que os principais destaques do novo Windows são a melhoria nos recursos de armazenamento e conectividade, no gerenciamento de energia, a rapidez da interface, um sistema inteligente e versátil para tablets e PCs e novos recursos operacionais para o setor corporativo.

A versão oito do Windows promete uma nova experiência para profissionais de diversas áreas e trará mudanças nos processos estratégicos das empresas, mas ainda é cedo para sabermos se o Windows 8 vai realmente ser um divisor de águas.

* por João Moretti, diretor geral da MobilePeople – empresa especializada em soluções móveis corporativas

**As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicadas refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nesta publicação



Notícias PRNewswire